Velocidade do cilindro pneumático, como calcular e controlar

cilindro pneumático

A velocidade do cilindro pneumático não depende tanto do tipo de cilindro, mas da velocidade com que o ar entra no cilindro quando a válvula é acionada.

A velocidade do cilindro pneumático depende de vários fatores, incluindo:

– Tamanho da válvula: se a válvula for muito pequena, restringe o fluxo com um furo passante, reduzindo a velocidade potencial do cilindro;

– Tubulações: a tubulação também deve ser capaz de não limitar a passagem de ar. Quanto maior o diâmetro da tubulação, maior a passagem de ar;

– Distância entre as peças: quanto maior a distância que o ar tem que percorrer para entrar no cilindro ou deixar a garrafa na atmosfera, menor será a distância do cilindro. Abaixo, veja como conseguimos aumentar a velocidade do cilindro simplesmente embutindo uma válvula de escape rápida e, assim, tornando o caminho do ar para a atmosfera muito mais curto.

Método de controle de velocidade do atuador pneumático

O acionamento pneumático é um dos componentes mais importantes do circuito pneumático. Nesta página, exibimos como é fácil controlar a expansão e a velocidade de recuo de cilindros pneumáticos.

Para controlar a velocidade de um atuador pneumático, instale uma conexão de controle de fluxo na porta do atuador. Esta é uma conexão semelhante à mostrada na imagem abaixo.

Essa conexão de controle permite a passagem normal de ar em uma direção, mas restringe o fluxo de ar na outra direção.

Ao ajustar a cavilha na parte superior do conjunto, a passagem de ar fica mais ou menos restrita. O ajuste no sentido horário restringirá o fluxo de ar.

A conexão localizada na parte traseira do atuador controlará a velocidade de retração do atuador e a conexão localizada na frente do atuador controlará a velocidade de extensão.

O uso dessa conexão não diminuirá a força de atuação do atuador pneumático, apenas modificará a velocidade de extensão ou retração.

Plano de prevenção de perdas

Cada componente instalado no caminho do ar comprimido, gerado no compressor até o cilindro, cria uma diferença de pressão, ou seja, uma pequena diferença de pressão e vazão.

Com isso, um circuito bem dimensionado será sempre o mais rápido, com o menor número de elementos no cilindro.

Algumas sugestões:

  1. A preparação de ar utiliza sempre a mesma bobina da saída de ar, de forma a levar o máximo de ar ao circuito;
  2. Sempre respeite as roscas de entrada do cilindro nas válvulas e conexões: ISO63, rosca G.3/8” utilizar válvulas VN38 G.3/8 , e assim por diante;
  3. Os dutos de PU são vendidos por medidores externos e é importante sempre iniciar o circuito com dutos maiores até chegar a ramais pós-válvula, com dutos menores, mas que combinam com o medidor de rosca de entrada do cilindro.

Velocidade teórica do cilindro de ar

A velocidade de operação do cilindro pneumático é geralmente de 300 a 800 mm/s. Se tomarmos uma média de 500 mm/s, isso significa que um cilindro com um curso de 500 m funciona em 1 segundo.

Para calcular a velocidade de atuação do cilindro é preciso saber quanto fluxo de ar entra no cilindro pneumático. Esse número pode ser obtido a partir da curva de vazão de uma valva acionada por um cilindro pneumático.

Fórmula para calcular a velocidade do cilindro:

Velocidade (mm/s) = 16666,7  X  Vazão (L/min) / Área (mm2)

Para encontrar os melhores cilindros e válvulas pneumáticas, basta entrar em contato com a Arfusion Brasil.

Compartilhe

Facebook
LinkedIn

Newsletter

Se inscreva na nossa Newsletter para receber atualizações e tudo mais!

Últimos artigos

Artigos Relacionados